SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

Plantão de sábado garante entrega de kits de alimentos em mais duas escolas da zona rural

25/9/2020, 19:26h

Um plantão este sábado, 26, vai garantir a entrega dos kits de alimentação destinados aos estudantes da Rede Municipal de Educação em mais duas escolas da zona rural. Na segunda-feira, 28, outras sete escolas também receberão os kits que são compostos de 12 itens alimentícios indispensáveis na mesa do brasileiro.

Com a entrega de segunda-feira, a Secretaria Municipal de Educação chega ao número de 16.092 kits entregues às escolas. A escala de distribuição às famílias está sendo organizada pelas equipes de gestão escolar das unidades de ensino, tão logo os kits cheguem às escolas.

A organização é feita considerando o número de estudantes matriculados, observando as orientações de biossegurança e proteção. É importante evitar aglomeração, por isso, as equipes estão estabelecendo horários para séries ou anos escolares.

Cada um dos 51.340 estudantes da Rede Municipal tem direito a receber um kit, independentemente de quantos alunos da mesma família esteja matriculado na escola. Para fazer a retirada, orienta o secretário de Educação, Justiniano França, os pais devem se dirigir à unidade de ensino onde o filho está matriculado apresentando documento original de identidade com o documento do filho ou filha. A criança não deve acompanhar a retirada.

O kit de alimentos é composto por 12 itens: feijão carioca, arroz, açúcar, café, macarrão tipo espaguete, óleo de soja, proteína texturizada de soja, leite em pó, farinha de milho flocada, farinha de mandioca, biscoito cream cracker e extrato de tomate. O valor total investido pela Prefeitura para aquisição dos alimentos foi de R$ 2.438.650,00.

  •  

Auxiliares de serviços gerais e merendeiras em capacitação de biossegurança para possível volta às aulas

25/9/2020, 9:1h

Merendeiras e auxiliares de serviços gerais que atuam nas escolas da Rede Municipal de Feira de Santana participam de capacitação com todas as orientações visando as novas práticas que primam pelo protocolo de biossegurança num cenário de possível volta às aulas – ainda não há uma data definida. Mas, as medidas preventivas já estão sendo adotadas.

O último encontro de formação aconteceu na Secretaria Municipal de Educação e contou com as orientações das técnicas Neuza Silva, enfermeira e mestra em Saúde Coletiva, e Nancy Oliveira, enfermeira e referência do programa Saúde na Escola da SMS.

A formação é organizada pela Secretaria Municipal de Educação, que orienta e acompanha todos os encontros. “Nosso objetivo é garantir uma capacitação esclarecedora para todos estes funcionários que só fundamentais para o funcionamento das nossas escolas”, observa a professora Nívia Oliveira, diretora do Departamento de Apoio ao Desenvolvimento Educacional da Seduc.

As medidas apresentadas a essas profissionais integram o protocolo de biossegurança de volta às aulas que vem sendo elaborado pela Secretaria de Educação em parceria com a Secretaria de Saúde. Os próximos encontros acontecem nos dias 29 e 30 de setembro e em 1º de outubro, data que finaliza esse ciclo de formações.

  •  

Mais de 10 mil kits de alimentos já foram entregues às escolas municipais

23/9/2020, 18:52h

Mais de 10 mil kits de alimentos já foram entregues nas escolas da Rede Municipal de Educação até esta quarta-feira, 23. A expectativa da Secretaria Municipal de Educação é atingir todas as 206 escolas até o final da próxima semana. Escolas de vários bairros e de pelo menos três distritos já contaram com a entrega. Todos os 51.340 estudantes têm direito ao kit.

Assim que é feita a entrega na escola, a equipe de gestão escolar convoca os pais ou responsáveis, através dos seus canais de comunicação, para fazer a retirada do kit de alimentos. De acordo com o secretário de Educação, Justiniano França, eles devem se dirigir à unidade de ensino onde o filho está matriculado apresentando documento original de identidade com o documento do filho ou filha. A criança não deve acompanhar a retirada.

Nos últimos dias, a entrega atingiu os distritos de Bonfim de Feira, Ipuaçu, Tiquaruçu e diversos bairros, como Papagaio, Jardim Acácia, Tomba, Feira VII e Jardim Cruzeiro, entre outros.

ESCALA NA UNIDADE DE ENSINO

A escala de distribuição aos pais está sendo organizada para melhor atender a cada localidade. No caso da Escola Municipal Álvaro Pereira Boaventura, do distrito de Bonfim de Feira, a equipe da unidade de ensino arrumou o espaço e definiu uma escala para receber as famílias, seguindo as medidas de biossegurança e os cuidados com a saúde.

“Definimos a entrega seguindo uma escala – determinado dia para série ou ano escolar. Começamos nesta terça-feira com a Educação Infantil; nos próximos dias, será o Fundamental I e Fundamental II, mas os pais que têm filhos em mais de uma modalidade não precisam vir duas vezes. Eles podem fazer a retirada no mesmo dia”, orienta a diretora da escola, Eveline Souza Pinto. Nesta quinta-feira, 24, a escola vai atender àqueles que não conseguiram comparecer no dia determinado, informa.

Houve também distribuição de máscaras para evitar que pais e responsáveis entrassem sem o acessório. “Fizemos assepsia de todas as canetas após o uso e orientamos que as embalagens fossem lavadas assim que chegassem a casa”, orienta a professora Eveline.

O kit de alimentos é composto por 12 itens: feijão carioca, arroz, açúcar, café, macarrão tipo espaguete, óleo de soja, proteína texturizada de soja, leite em pó, farinha de milho flocada, farinha de mandioca, biscoito cream cracker e extrato de tomate. O valor total investido pela Prefeitura para aquisição dos alimentos foi de R$ 2.438.650,00.

  •  

Prefeitura de Feira vai realizar licitação para selecionar empresa de gestão de pessoal

22/9/2020, 16:44h

A Prefeitura de Feira de Santana vai contratar uma nova empresa da área de gestão de pessoal para a oferta de serviço administrativo, técnico e operacional. Ela irá atender às demandas da Secretaria Municipal de Educação e das 206 escolas da Rede Municipal. Serão contratados 1.670 funcionários para diversos setores, com todas as garantias trabalhistas e benefícios - contratação via CLT, Consolidação das Leis do Trabalho, FGTS, INSS e ainda plano de saúde.

A licitação será no formato de concorrência pública e está marcada para o próximo dia 13 de outubro.

A empresa vencedora substituirá seis contratos vigentes, incluindo as cooperativas, que prestam serviços à Administração Municipal e terão seus vínculos encerrados no fim deste ano.

O novo edital prevê a contratação de 1.670 funcionários, número muito próximo ao de pessoal que atualmente trabalha no setor educacional – que é de 1.641 empregados.

Ao todo, serão contratados 1.000 auxiliares de serviços gerais para atuar durante o dia e 200 para o noturno; 50 motoristas de ônibus e mais 50 para veículos leves; 300 auxiliares administrativos; e 70 assistentes administrativos-financeiros. 

A Prefeitura estima que o custo anual do novo contrato possa chegar ao valor máximo de R$ 77.411.980,80, mas provavelmente será inferior a este montante - depende da concorrência entre as empresas que se apresentarem para prestar o serviço. Mantidas as exigências do edital, será a escolhida a proposta com menor valor.

A validade do contrato é de um ano, com possibilidade de renovação pelo mesmo período. A Prefeitura estima que o custo mensal seja de R$ 6.450.998,40, levando em conta os salários dos profissionais e encargos sociais.

BENEFÍCIOS CONTRATUAIS

Todos os profissionais contratados terão seus direitos trabalhistas garantidos e seus contratos seguirão as normas da Consolidação das Leis do Trabalho, CLT – o que inclui pagamento de FGTS, INSS, etc.

Além disso, cada trabalhador receberá o salário base relativo à função desempenhada, conforme convenção coletiva de sua categoria. O vínculo também prevê a garantia de outros benefícios que são diferenciais para todas as categorias – plano de saúde e odontológico e seguro de vida. 

A concentração de todos esses funcionários em uma mesma empresa facilita a gestão contratual por parte da Administração Municipal.  Este formato de contratação também evita futuras responsabilizações da Prefeitura de Feira de Santana em eventuais reclamações trabalhistas. 

AUMENTO NOS VALORES 

Somados, os contratos das quatro cooperativas que atualmente prestam serviço à Seduc chegam a um montante anual de 45 milhões de reais aproximadamente.

O incremento em relação ao novo contrato é por conta dos benefícios trabalhistas que serão garantidos aos funcionários e ainda a carga tributária empresarial.

Em 2019, a Prefeitura de Feira de Santana firmou um Termo de Ajustamento de Conduta, TAC, com o Ministério Público do Estado da Bahia e com o Ministério Público Federal se comprometendo a não renovar contratos das cooperativas que já prestam serviço à Administração Municipal ou mesmo efetuar novas contratações com empresas deste gênero.

No passado, algumas dessas instituições foram alvos de investigações por conta de eventuais irregularidades em sua gestão interna. Vale ressaltar que não há impedimento legal para a contratação de emprestas deste tipo. A Prefeitura de Feira, no entanto, está honrando o compromisso assumido.

  •  

As 10 escolas municipais com os melhores resultados do Ideb 2019

18/9/2020, 12:31h

As atividades científicas do Centro de Educação Básica da Uefs; as afeições artísticas da Escola João Paulo II; e os projetos de cunho socioambiental da Escola Municipal Regina Vital, entre outros fatores, garantiram às unidades de ensino os melhores índices no Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), dentre as turmas de Ensino Fundamental, anos iniciais, em toda a Rede Municipal de Educação. Os resultados foram divulgados na terça-feira, 15.

Respectivamente, essas escolas atingiram os seguintes números: 7,2; 6,8; e 5,7. Com isso, todas se mantiveram acima das médias projetadas pelo Ministério da Educação para elas nesta medição. E esse fato se repetiu outras 43 vezes em toda a Rede. A Escola Municipal Adenil da Costa Falcão, por exemplo, teve média 5,6, enquanto o resultado esperado pelo MEC era de um ponto abaixo disso – 4,6.

A Escola Municipal Godofredo Coutinho Pereira teve desempenho parecido. Enquanto sua meta era alcançar uma média de 4,3 pontos, seu resultado final foi 5,6 – 1,3 acima do esperado. Logo em seguida, a Luis Alberto da Associação União e Força ficou um décimo acima de sua nota-alvo, atingindo 5,4. 

Já a Escola Doutor João Duarte Guimarães saiu da média de 4,4, registrada em 2017, para 5,4, em 2019 – superando em oito décimos o plano do Governo Federal. A Doutor Nóide Cerqueira manteve seu desempenho alcançado em 2018, obtendo o índice de 5,4, dentro da média esperada.

A Escola Municipal Professor Otávio Mansur de Carvalho vem logo depois com média 5,3 – quatro décimos acima do esperado. O Centro Integrado de Educação Municipal Professor Joselito Falcão de Amorim também alcançou 5,3 como resultado final. Esse número representa uma superação de cinco décimos do que foi considerado ideal para a unidade de ensino.

Para a professora Jozelia Araújo, diretora do Departamento de Ensino da Secretaria de Educação, os índices alcançados por essas e todas as demais escolas municipais que melhoraram seu desempenho são fruto de muita dedicação. “Principalmente do professor que está lá na ponta, atuando diretamente com os alunos. Mas, também de cada gestor escolar e coordenador, com todo empenho diário que demonstram”, afirma.

Das 206 escolas que integram a Rede Municipal, 95 foram submetidas à avaliação. Destas, 49 escolas atingiram suas metas – ao todo, 46 delas tiveram índice acima do esperado e duas escolas estagnaram em relação à avaliação anterior, de 2017.

O Ideb é o principal indicador da qualidade da educação básica no Brasil. É calculado com base nos resultados das provas de português e matemática aplicadas a cada dois anos e no fluxo escolar – taxa de aprovação, reprovação e ainda abandono dos estudantes.

  •  

Começa a distribuição dos kits de alimentos aos 51.370 estudantes da Rede Municipal

16/9/2020, 9:10h

Começaram a ser distribuídos esta terça-feira, 15, os kits de alimentos para as famílias dos estudantes da Rede Municipal de Educação. A primeira a iniciar a entrega foi a Escola Carlos Alberto do Carmo, situada no Feira IX. Todos os 51.370 alunos – da Educação Infantil à Educação de Jovens e Adultos – têm direito ao kit. A entrega será feita exclusivamente nas escolas.

Além da Carlos Alberto do Carmo, a distribuição atingiu outras 12 escolas nesta terça-feira. A partir do momento em que os alimentos chegam às unidades de ensino, a equipe de gestão escolar elabora o cronograma de entrega e convoca os pais ou responsáveis pelos alunos.

A equipe da Escola Carlos Alberto do Carmo organizou a distribuição aos pais, observando a segurança e as normas de isolamento social. Limpeza das embalagens, uso das máscaras e a organização para receber o kit. Cada pessoa aguardou sentada e as cadeiras também foram disponibilizadas considerando o distanciamento social.

O kit é composto por 12 itens: feijão carioca, arroz, açúcar, café, macarrão tipo espaguete, óleo de soja, proteína texturizada de soja, leite em pó, farinha de milho flocada, farinha de mandioca, biscoito cream cracker e extrato de tomate. O valor total investido pela Prefeitura para aquisição dos alimentos foi de R$ 2.438.650,00.

“Organizamos a entrega em escala, por série em que o aluno está matriculado. Temos 545 estudantes – começamos com o grupo 5 e 1º ano e, nos próximos dias, 2º, 3º, 4º e 5º ano; no final, os estudantes da Educação de Jovens e Adultos. Faremos toda uma organização, pensando nos procedimentos e cuidados com a saúde e a biossegurança de todos”, explica a professora Denise Freitas, diretora da escola.

No momento de retirada dos kits, os pais e responsáveis devem apresentar seu documento original de identidade, RG, e também o do filho; caso a criança ainda não disponha de RG, deve apresentar a certidão de nascimento. Todos os estudantes têm direito a receber um kit, mesmo que a família tenha mais de um aluno matriculado na Rede Municipal.

O secretário de Educação, Justiniano França, explicou que a Prefeitura está trabalhando para agilizar a distribuição e atingir o máximo possível de escolas nos próximos dias. São 206 unidades de ensino. Também estão sendo adotadas medidas para garantir a distribuição nos próximos meses.

  •  

Rede Municipal de Educação atinge meta do Ideb

15/9/2020, 17:3h

A Rede Municipal de Educação atingiu a meta do Ideb 2019, estabelecida pelo Ministério da Educação. O índice alcançado pelas escolas do Ensino Fundamental I, anos iniciais – do 1º ao 5º ano, foi 4,8, o que representa um aumento de 0,4 em relação à avaliação anterior, feita em 2017. O Ideb, Índice de Desenvolvimento da Educação Básica, foi divulgado pelo Ministério da Educação, MEC, na manhã desta terça-feira, 15.

Das 206 escolas que integram a Rede Municipal, 95 foram submetidas à avaliação. Destas, 52% atingiram a meta, o que equivale a 49 escolas; 46 tiveram índice acima do esperado e duas escolas estagnaram em relação à avalição anterior, de 2017.

Sessenta e três escolas apresentaram melhor resultado que em 2017 – é o caso da Escola Municipal Quinze de Novembro, de Jaíba, que dobrou o resultado. Saiu de 2,1 para 4,2 em 2019; Luciano Ribeiro Santos, no bairro Lagoa Subaé, cresceu 61,5% – tinha índice 2,6 e alcançou 4,2. A Ana Brandoa de Souza, no Tomba, aumentou 56,67 – saiu de 3 ara 4,7. A Escola Municipal Manoel Cundes Ferreira, que fica na localidade de Ovo da Ema, distrito de Maria Quitéria, subiu 57,6% – tinha nota 2,6 e alcançou 4,1.

Das 95 escolas que foram submetidas ao Ideb, 64 apresentaram crescimento em relação à avaliação anterior, mas nem todas atingiram a meta. Quarenta escolas não atingiram o índice estipulado pelo MEC.

Dez não conseguiram avançar, no entanto, mantiveram resultado acima da meta e onze unidades de ensino não alcançaram a meta e retrocederam.

No Fundamental II, séries finais – do 6º ao 9º ano, 22 foram submetidas à avaliação. Neste grupo, a Rede Municipal não alcançou a meta: ficou com índice de 3,7 enquanto a meta era 4,6. Das 22 escolas, treze apresentaram crescimento; cinco alcançaram a meta ou ficaram acima dela; oito escolas diminuíram e uma escola foi avaliada por primeira vez.

ESTRATÉGIAS QUE DERAM RESULTADO

De acordo com a análise da Secretaria Municipal de Educação, algumas medidas e estratégias contribuíram para um resultado melhor nesta última avalição, principalmente nos anos iniciais.

No geral, as principais estratégias foram: a diminuição do índice de estudantes que engrossavam a estatística de distorção idade-série – alunos que têm idade superior ao esperado para aquele ano escolar; o investimento na formação continuada dos professores; a renovação do quadro de pessoal, com a convocação de todos os professores concursados em 2012 e um novo certame em 2018; também a realização de seleção pública via Reda; e a reserva de carga-horária que disponibiliza mais tempo para o professor planejar suas atividades.

Também é avaliado como extremamente positivo pela gestão da Educação o investimento em recursos pedagógicos e ainda na infraestrutura das escolas. “Todas estas ações, sempre com acompanhamento mais próximo da gestão escolar, são fundamentais para a aprendizagem dos estudantes e favorecem um resultado mais efetivo do Ideb”, destaca a diretora do Departamento de Ensino, Jozelia Araujo.

O Ideb é o principal indicador da qualidade da educação básica no Brasil. É calculado com base nos resultados das provas de português e matemática aplicadas a cada dois anos e no fluxo escolar – taxa de aprovação, reprovação e ainda abandono dos estudantes.

  •  

Merendeiras e auxiliares de serviços gerais que atuam nas escolas recebem orientações de biossegurança para um possível retorno às aulas

15/9/2020, 14:18h

Utilizar água sanitária ou desinfetante para limpar bancadas; não compartilhar talheres ou panos de pratos; manter ambientes ventilados e portas abertas. Essas são algumas das instruções que vêm sendo passadas às merendeiras que atuam nas escolas da Rede Municipal de Educação durante as formações ministradas pela equipe da Secretaria de Saúde, SMS, desde o último dia 10.

Os encontros estão acontecendo no auditório da SMS. Na manhã desta segunda-feira, 14, duas turmas participaram da iniciativa que visa capacitar essas profissionais, dando-lhes orientações que proporcionam maior segurança para todos no momento de retorno às aulas. As formações seguem até o dia 1º de outubro e também terão como público os funcionários auxiliares de serviços gerais – estes, a partir desta terça-feira, 15.

Os encontros presenciais seguem as orientações de biossegurança. O número reduzido de participantes garante o distanciamento como medida de proteção. Em geral, as turmas assistem à formação em horários diferentes e cada uma é composta por uma média de 30 profissionais – o auditório pode receber até 120 espectadores. Todos devem utilizar máscaras e têm álcool em gel à sua disposição durante os encontros. 

As medidas apresentadas às merendeiras e auxiliares de serviços gerais integram o protocolo de biossegurança de volta às aulas que vem sendo elaborado pela Secretaria de Educação em parceria com a Secretaria de Saúde. Essas estratégias só serão postas em prática após o parecer técnico do Comitê Gestor de Enfrentamento ao Covid-19, autorizando o retorno às atividades presenciais. Ainda não data definida.

As formações são ministradas por Nancy Oliveira, enfermeira e referência técnica do programa Saúde na Escola da SMS, em companhia de Neuza Silva, enfermeira e mestra em Saúde Coletiva. Também participa Maricélia Lima, enfermeira e doutora em Saúde Coletiva – estas duas últimas são membros do Comitê. 

“O processo de reabertura é complexo; demanda esforços e práticas sanitárias que não faziam parte do nosso cotidiano – o distanciamento, uso de máscara e cuidados específicos no momento das refeições, entre outros. Por isso, é extremamente importante capacitar estes profissionais para que eles atuem promovendo a biossegurança e também para que sejam multiplicadores desses conhecimentos e novos hábitos”, explica Nancy.

A professora Jozelia Araujo, diretora do Departamento de Ensino da Secretaria de Educação, pontua que essa é mais uma etapa do planejamento do Governo Municipal para o retorno às aulas. “Essa parceira com a SMS é de suma importância por que é ela quem nos direciona em questões de biossegurança. Gestores, professores e coordenadores pedagógicos já foram apresentados ao nosso Plano de Contingência. Agora é a vez destes profissionais”.

  •  

Obra do novo Complexo da Educação está em fase avançada

14/9/2020, 16:12h

A obra do Centro Interprofissional de Atendimento Educacional, InterEduc, órgão ligado à Secretaria Municipal de Educação, que passará a funcionar no novo Complexo Educacional de Feira de Santana, está em fase avançada. O projeto cumpre outra função social para o município: a de garantir uma destinação ao antigo Feira Tenis Clube, o velho FTC.

Na quinta-feira, 10, os secretários Justiniano França, de Educação, e Carlos Brito, do Planejamento, visitaram o prédio, acompanhados da equipe técnica.

Em sua nova sede, o InterEduc – que foi fundado no ano de 2015 e desde então oferece atendimento psicopedagógico especializado a estudantes com vários tipos de deficiências e dificuldades de aprendizagem – contará com novos espaços, modernos e adequados para a realização de atividades que facilitam a aprendizagem das pessoas com deficiência ou que apresentem algum tipo de dificuldade para aprender.

Atualmente, o Centro atende a 140 estudantes, mas o funcionamento está suspenso por conta da pandemia. Algumas atividades remotas estão sendo oferecidas pelos profissionais lotados no InterEduc – num turno, eles frequentam as escolas municipais, no outro, são acompanhados pelos professores especializados.

Dentre os espaços que o novo InterEduc ganhará estão sala de música, sala de artes, brinquedoteca, sala sensorial, salas de atendimento psicológico e psicopedagógico, espaço para fonoaudiologia, salas para atender aos deficientes visuais e para digitação em braile, auditório, cozinha, vestiários e uma quadra poliesportiva para atividades que envolvam os estudantes com deficiência.

Também está sendo construído no local o Centro de Pesquisa da História de Feira de Santana, com o objetivo de reunir no mesmo espaço obras de autores feirenses ou escritas sobre o município.
No futuro, será também construída na mesma área a nova sede da Secretaria Municipal de Educação e um Centro de Formação para os professores da Rede Municipal.

Arquitetura preservada
A arquitetura do antigo Feira Tênis Clube será preservada. “Todo o muro do velho FTC será reconstruído da mesma forma como era no passado”, observa o secretário Carlos Brito.

Com extensão de 12 mil m2, toda a área onde está situado o antigo clube – no passado, palco de festas que marcaram a juventude de milhares de feirenses – foi declarada espaço de utilidade pública, com o objetivo de preservar o importante patrimônio da cidade. O investimento nesta primeira parte do projeto é de R$ 7,6 milhões.

  •  

APLB bloqueia acesso ao prédio da Seduc

14/9/2020, 14:45h

A APLB Sindicato está bloqueando o acesso à Secretaria Municipal de Educação desde as 9:00 desta segunda-feira, 14. Ninguém entra ou sai do prédio, localizado à avenida Senhor dos Passos, 197, no centro.

A medida radical, já que impede o direito constitucional de ir e vir de qualquer cidadão, dificulta também o diálogo entre os professores da Rede Municipal de Educação e o governo que vem ao longo das últimas semanas aguardando uma decisão do Tribunal de Justiça da Bahia a respeito do pagamento de horas extras durante o período da pandemia pela Covid-19. A atitude dificulta ainda a distribuição dos kits de alimentos aos estudantes, prevista para ter início esta segunda-feira.

Como consequência do contágio pelo coronavírus, os professores estão sem trabalhar desde o dia 18 de março.

Imbróglio na justiça
Não houve corte de salários dos professores. Aqueles que estão com vencimentos menores desde o início da pandemia cumpriam horários extras de classe e, como não há aulas neste período, a Administração Municipal entende que não pode efetuar o pagamento apenas desses proventos.

Em recente decisão, publicada no último dia 21 de agosto, o Tribunal de Justiça derrubou a liminar que obrigava o pagamento das horas extras e também do deslocamento – vantagem aplicada apenas aos professores que atuam na zona rural. A decisão do TJBA considera o risco de grave lesão à ordem e à economia públicas.

Com o pagamento, a Prefeitura teria um custo mensal de R$ 2.476.769,69 (dois milhões e quatrocentos e setenta e seis mil e setecentos e sessenta e nove reais e sessenta e nove centavos). No entendimento da Procuradoria do município, “a situação apresenta a potencial possiblidade de violar a ordem econômica municipal, o que pode ser comprovado facilmente nos relatórios de gastos referentes às gratificações de aulas extraordinárias e adicionais de deslocamento”.

O procurador do município, Carlos Alberto Moura Pinho, esclarece que “a questão está sub judice e, portanto, a Prefeitura de Feira de Santana aguarda a decisão do mérito da ação pelo próprio Tribunal de Justiça que anteriormente determinou a suspensão de limitar que, por sua vez, obrigava a Prefeitura a efetuar o pagamento”.

O secretário de Educação, Justiniano França, destaca que o governo municipal continua considerando prioridade o diálogo com os professores, mas vê com preocupação as medidas radicais adotadas por uma parte do grupo. Neste exato momento (14:00), o secretário se reúne com uma comissão de professores.

  •