Conselho da Mulher elege novos representantes da sociedade civil

6/4/2021, 14:22 | Foto: Jorge Magalhes
O mandato ser para o binio de 2021 a 2023

Representantes de diversos segmentos organizados da sociedade civil elegeram, na manhã desta terça-feira, 06, os novos membros do Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Mulher (CMDDM) de Feira de Santana. A votação ocorreu na Casa dos Conselhos, no bairro Kalilândia, sob a coordenação de membros da Comissão Eleitoral. O mandato será para o biênio de 2021 a 2023. 

A eleição é para representantes de seis segmentos. Pelo segmento de Entidades Religiosas concorrem o Dispensário Santana, Caritas Diocessana e a Aliança Bíblica Universitária do Brasil. Já no segmento de Entidades de Classe (Sindicato Rural) concorrem Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras da Agricultura Familiar do Município de Feira de Santana e o Sindicato dos Trabalhadores em Água, Esgoto e Meio Ambiente no Estado da Bahia. 

Pela Entidade de Classe (Sindicato Urbano) concorrem o Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde e o Sindicato dos Empregados no Comércio, ambos de Feira de Santana. 

Para representar as Instituições de Defesa da Igualdade Racial concorrem o Núcleo Cultural Educacional e Social Quilombola Odungê, Associação Quilombola Comunitária de Maria Quitéria e Associação dos Moradores do Povoado de Tanquinho e Adjacências. 

Pelo segmento de Associação de Mulheres estão na disputa a Associação Cristã Beneficente Nossa Senhora dos Humildes e a Associação Feminina do Feira X. E representando as Instituições de Ensino Superior, a Faculdade Pitágoras e a Universidade de Salvador (Unifacs). 

A presidente da Comissão Eleitoral, Cacilda Miranda, considera que o CMDDM tem papel importante na implementação de políticas públicas para defesa da mulher. 

"A atuação do Conselho visa efetivar a defesa em favor da mulher violentada. Cada dia mais buscamos otimizar, qualificar e avançar nas conquistas em defesa da mulher, a exemplo da criação da Secretaria Extraordinária de Políticas Públicas para a Mulher", pontuou. 

A votação aconteceu seguindo todos os protocolos de distanciamento social e medidas preventivas exigidas pelos órgãos sanitários. "Tudo para garantir mais segurança aos eleitores", afirma Cacilda. 

E para garantia do sigilo do voto, foi instalada uma cabine eleitoral para preenchimento dos votos por categoria e colocados em urna.

Ouça aqui o podcast. 



  •